A HIPERTROFIA MUSCULAR E OS SEUS DIFERENTES TIPOS DE FIBRAS

Boa tarde hoje vim aqui escrever um pouco sobre a curiosidade de alguns e a sabedoria de outros. Fala-se muito em hipertrofia muscular mas lá no fundo todos nós nos questionamos o que é realmente a hipertrofia, por isso vim aqui falar um pouco sobre este assunto estarei aberto a novas opiniões até agradeço que o façam não só para me ajudarem a mim mas também para ajudar as pessoas que por aqui passam. Por isso aqui vai a 1ª pergunta:

O que é hipertrofia?

No que se refere à força muscular e hipertrofia é simplesmente o alargamento de um ventre muscular devido a um aumento no tamanho das células musculares – em particular das fibras do músculo.

O homem trabalha na hipertrofia do músculo esquelético (ou seja, fica maior), seguindo um programa de treino de resistência. O resultado da hipertrofia ou hiperplasia das fibras, em outras palavras, os músculos ficam maiores devido ao aumento do tamanho das fibras existentes ou um aumento no número de fibras?

A hipertrofia crónica e a hipertrofia transitória.

O aumento a longo prazo no tamanho do músculo é chamado de hipertrofia crónica, a hipertrofia de curto prazo ou transitório refere-se a bomba em cima do músculo que ocorre durante uma sessão de treino de resistência. Esta é predominantemente devido à retenção de líquidos no espaço interesticial e intracelular do músculo e é conhecido como edema.

Anatomia do músculo?

Cada músculo ou grupo muscular (como o bíceps) é constituído por feixes de fibras musculares. Tradicionalmente, os pesquisadores acreditavam que o número de fibras com eu se nasce não assim se morre isto  é nada muda, independentemente de qualquer exposição no treino de resistência. Essa afirmação é contestada por muitos defensores da hiperplasia das fibras musculares, que sugerem que o treino pode induzir um maior número de fibras a ser formado.

De acordo com o princípio da hipertrofia, os músculos tornam-se maiores se seguirem uma rotina de treino de força, em parte, porque cada fibra (normalmente fibras de contracção rápida) torna-se maior ou mais grossa. Um ou mais das seguintes adaptações causam o aumento no tamanho das fibras.

Aumento no número de proteínas contráteis (actina e miosina)

Aumento do número e tamanho das miofibrilhas por fibra muscular

Aumento da quantidade de tecido conjuntivo

Aumento das enzimas e nutrientes armazenados

Como aumentar o tamanho do musculo?

O aumento no tamanho das fibras individuais parece ser estimulado por um aumento na síntese protéica muscular. Durante um exercício intenso, a síntese de proteínas parece diminuir e depois aumentar durante o período de recuperação.

O oposto é verdadeiro para a quebra ou degradação de proteínas. Isso aumenta durante e imediatamente após o exercício e diminui durante o período de cobrança.

Tomar um suplemento de proteína e carbohidratos logo após o treino tem sido mostrado para reduzir a taxa de degradação protéica.

Curiosamente, a acção muscular excêntrica parece induzir a uma maior quantidade na hipertrofia muscular em relação à acção muscular concêntrica. Comparando as fases concêntricas e excêntricas, um estudo revelou que a hipertrofia das fibras de contracção rápida foi dez vezes maior no grupo excêntrico treinado.

Tipos de fibras musculares?

As fibras musculares são projectadas tanto para o metabolismo aeróbio como para o anaeróbio. Dois de fibras musculares foram identificadas e classificadas como contracção lenta (Tipo I) e contracção rápida (Tipo II). E contracção lenta (tipo I) usadas para actividades de longa duração e com intensidades baixas (pouco forte, mas resistentes), e as de contracção rápida (Tipo II), mais utilizadas em treinos de alta intensidade com menos resistência. Quando se levanta muitas cargas necessita-se de um alto percentual de fibras do tipo II para executar de forma explosiva.

As fibras Tipo I e Tipo II foram classificacas com um padrão de vários tipos de fibras musculares. A contracção rápida também foi dividido em tipo IIa e fibras do tipo IIb. Tipo II foi chamado glicolítica oxidativa rápida devido à sua capacidade para realizar tanto o metabolismo aeróbio como anaeróbio. Tipo IIb de glicolíticas rápidas, pois possui a maior capacidade anaeróbica. Eventualmente subtipos mais de cada fibra foram identificados. Fibras do tipo I foram divididos em tipo I e tipo Ic. Tipo Ic é acreditado para ter menor capacidade oxidativa do Tipo I. Fibras do tipo II foram divididas ainda em Tipo IIc, IIAC, IIa, IIaB e IIb. Cada um tem diferentes características aeróbicas e anaeróbicas. Em um estudo feito em que os jovens atletas selecionados aleatóriamente e determinando a percentagem de fibras tipo I. Os corredores de longa distância surgiram no topo com cerca de 60% -95% das fibras do tipo I, enquanto os velocistas tinha cerca de 15% -38% do tipo I fibras.

É amplamente acreditavél que factores genéticos influenciam a percentagem de cada tipo de fibra muscular numa pessoa. No entanto, em atletas de elite, dependendo do desporto que praticam eles terão um tipo de fibra, que é mais favorável para esse tipo de desporto. Isso simplesmente significa que os atletas tiveram mais resistência do tipo I e um halteriofilista ou velocista tinham mais fibras musculares tipo II. No entanto, há opiniões divergentes sobre o exercício e mudança do tipo de fibra muscular. Alguns estudos têm mostrado uma mudança de fibras tipo I, após o treino de resistência, enquanto outros não têm. Embora pareça que o treino de alta intensidade provoca uma transformação do tipo IIb em tipo IIa. Da mesma forma como uma intensidade alta e um tipo de treino de endurance aumenta o tipo IIa e tipo IIc, tipo IIc é a oxidativo na maioria das fibras de contracção rápida.

Os subtipos de transformações parecem ocorrer dentro de duas semanas. No entanto, com a falta de formação de subtipo vai para o seu estado original.

É fácil entender como podemos recrutar fibras de contracção rápida, com adequada concepção de um programa de treino de resistência. Este programa pode ajudar na hipertrofia muscular e recrutamento, de fibras de contracção rápida, são os músculos que estão ligados com a velocidade e qualidades explosivas. Os desportos como halterofilismo precisam de mais fibras rápidas para melhorar o seu desempenho.

 

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: